MINI MODA

Liberdade de expressão nos mini looks

Com a comunicação voltada para o público infantil cada vez mais conectada com o mundo fashion, as crianças hoje se vestem de acordo com as tendências da moda, porém sem perder o ar doce e divertido da infância.

Para se ter uma ideia do quão mais difícil é lidar com o produto infantil, deve-se pensar que ele precisa agradar a criança e o adulto ao mesmo tempo. Por isso, marcas investem em um posicionamento cauteloso, que tenha efeito nos dois públicos, visto que a criançada tem uma parcela significativa na decisão de compra.

Os pequenos recebem informações via internet, programas de TV e escola. Já os pais, podem contar com meios de comunicação como blogs destinados exatamente à eles, onde encontram dicas de cuidados, de moda , de eventos infantis, de inovações nesse mercado e mais uma infinidade de assuntos com a finalidade de facilitar seu dia a dia. Como é o caso de blogs como Fashion Kids, Blog Moda Infantil, Mamãe Tagarela, Just Real Moms, Nerd Pai e Papai de Menina.

Na hora das compras e também de escolher a roupinha para sair de casa, muitas mães estão optando por deixar as crianças livres para escolher o que querem vestir, podendo assim encontrar o próprio estilo. Em consequência disso, surgiram as contas do instagram, que são uma explosão de fofura e documentam o estilo dos pequenos como vemos em usuários como @itsbanstyle, @thelittlebugs, @mintkarla, @tylerhuan, @jameslarese, @fashionkids  e @littlegarms , além de muitos outros.

Marcas que antes só fabricavam para adultos ou tinham uma parcela muito pequena de investimento nesse setor, passaram a dar mais importância a esse mercado quando viram um grande potencial. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), ele tem crescido 6% ao ano.

Filhos de celebridades também ganharam seu destaque, assim como atores mirins que fazem sucesso em seriados e filmes, ficando em voga por um bom tempo, ao mesmo tempo que  tornam –se  influenciadores com alto potencial de merchandising para as marcas.

Por fim, segundo dados do ano passado, os pais estão deixando de comprar para eles para comprar para seus filhos, além do fato de que como as crianças crescem, esse é um gasto que estará sempre no orçamento, o que só ressalta que a curva desse mercado só tende a crescer.

Fontes:  WGSN, sitesindicatodaindustria.com  e g1.globo