ONECONOMY

O mercado dos solitários

Dentre as tendências de consumo para 2018, uma espécie de consumo solitário ou “Oneconomy” como vem sendo chamado, encontra seu lugar em meio a uma era em que todos estão interligados e compartilhando seu dia a dia em redes sociais.

O termo surgiu na Coreia e se expandiu rapidamente devido ao fato de que a sociedade está em constante mudança e uma grande parcela de “novos adultos” sentem a necessidade de priorizar cuidados pessoais e individualidade.

Além dos “novos adultos” (millenials), também fazem parte desse movimento membros da geração X, alguns Baby Boomers e todos os que casam-se tardiamente, já divorciaram-se ou que viveram mais tempo. Seus valores estão diretamente ligados ao amor-próprio, saúde e felicidade pessoal.

Para ilustrar o quanto esse mercado está em ascensão, o setor de turismo nos últimos quatro anos teve um boom no número de viagens solitárias e também, o número de famílias de uma pessoa só que cresceu cinco vezes desde 1990 e ainda, tende a crescer em 32% até 2030, segundo o Euromonitor¹.

O mercado como sempre, não deixou o crescimento dessa tendência passar despercebido e vem trabalhando modos de comunicação que atinjam esses consumidores solitários. O que, de certa forma é um bom investimento, já que seguindo a linha de raciocínio do filósofo Zygmunt Bauman ², o individualismo, a efemeridade e a fluidez das relações são termos emergentes na sociedade moderna.

Baba Shiv, um professor de Marketing da Escola de Graduação em Negócios de Stanford é especialista em estudar a solidão ou a sensação de ser socialmente isolado e acredita, que as pessoas solitárias preferem ficar isoladas no ato da compra, pois têm mais tranquilidade em escolher produtos que estão de acordo com sua personalidade.

Seguindo a tendência solitária, em Amsterdan, o restaurante pop-up Amsterdam’s Eenmaal foi o pioneiro em 2013 em fazer um restaurante com mesas apenas para uma pessoa. E no Japão, a rede de restaurantes Ichiran possui um sistema digital de pedidos onde você pode pedir a comida e sentar-se em mesas solitárias, eliminando qualquer interação social.

O casamento também não ficou de fora. Com as taxas de matrimônio caindo e o casamento acontecendo cada vez mais tarde, os solitários encontram seu lugar em “single weddings”. Como é o caso da instrutora italiana de ginástica Laura Mesi, que se casou consigo mesma em setembro do ano passado.

Com isso, já podemos ver que esses consumidores estão se tornando agentes de uma mudança na economia, mercado e talvez de maneira ainda sutil na cultura, pois além dos valores já citados, esses consumidores preferem gastar dinheiro com eles mesmos no presente ao invés de poupar para o futuro levando à uma vida hedonista. 

¹ Líder mundial em pesquisa de estratégia para mercados consumidores.

² Zygmunt Bauman foi um sociólogo polonês e possui obras com temas relacionados à consumismo, globalização e relações humanas. Famoso por cunhar o conceito “modernidade liquida” para definir o presente.

Fontes :

Hipersuper.pt, holmesreport.com, administradores.com, metodista.br e wgsn.com